RSS

Que pergunta te falta?

20 fev

questionate2innovate

“Você consegue saber se um homem é inteligente pelas suas respostas. Você consegue saber se um homem é sábio pelas suas perguntas.”
( Naguib Mahfouz )

Se algo que eu possa escrever tem alguma utilidade para alguém além de mim, suponho que o que foi dito por outro alguém também possa ganhar significância para si e igualmente buscar uma importância para uma coletividade, mesmo que a aceitação não seja a finalidade ou intenção mais importante, mas o questionamento, a mudança através deste, a resposta única que ninguém poderá tecer por nenhum outro meio senão por suas própria vontade. Considerando a inegável atração dos opostos, a crítica substancial e inteligente é aquela que – diferentemente da outra – não se iguala por baixo, ao contrário, acrescenta elementos a tudo o que foi dito e une-se ao seu contrário para somar forças. Se um pensamento parece valioso, é digno que seja contemplado na pureza de suas intenções mas também na dureza de suas consequências. Eis que surge a pergunta:

Até quanto me incluo em uma maioria?
Por que tanto se divide a minoria?
se o que os une é tão forte quanto o que os separa
ambos errados buscando respostas para a pergunta errada

O que mais os homens têm a inovar no que fora da questão já se encontra?

Abaixo, uma mensagem interessante de Antonio Negri.


Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em 20 fevereiro, 2009 em Cotidiano, Quote, Quotes, Sociedade

 

Tags: , , , , ,

2 Respostas para “Que pergunta te falta?

  1. Samelly Xavier

    22 fevereiro, 2009 at 12:33 PM

    Quintana diz que mais importante do que as respostas, são as perguntas. Porque as respostas são muitas, e a pergunta é uma só.

    Concordo com ele.

    Beijo recitado!

     
  2. Raquel

    6 março, 2009 at 1:18 PM

    Lembrou-me alguma coisa da Maiêutica… Socrátes…
    Ainda estou a procura da minha pergunta-chave, para, talvez, encontrar a resposta ou a verdade que abra minhas portas 😉

    Quanto a Victor Hugo, o texto lá, acho que não é dele, mas confesso que os extremismos do ultraromantismo exercem um magnetismo sobre meu gosto, ou desgosto, sei lá…

    Chovendo no molhando, visitar seu espaço é algo que gosto de fazer. Gosto da leitura que encontro aqui.

    Abs
    Raquel.

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: