RSS

As coisas que não se contam

03 ago

Important

Tem um contando seu tempo
vejo outro medindo seu dinheiro
outro chega contando vantagens
mais um vai devendo favores

Perdendo tudo o que vai medindo
segue sem conta do próprio peso
contando com tudo o que vive
esquece da vida que não se conta

Arrastando as correntes do tempo
atado aos laços das contas
medido, previsível, repetido
classificado, contabilizado, esquecido

Eco abafado da ilusão consciente
seguro apenas das próprias mentiras
limitado, enquadrado, definido
insone, infame, excluso

Inventando mentiras
escondendo intenções
omitindo verdades
revelando contradições

Incontáveis sempre existiram
infindáveis ainda nascerão
aprendendo certo, fazendo errado
ausentes em seus próprios mundos

Um todo de tudo do que em nós habita
também oferece a chance da escolha
mas que fazer deste todo que agora
apenas opções oferece escolher?

Tanto de tudo o que se sobra
em outro falta a preencher
tanto quanto em nós habita
do que não se mede é no que mais se conta.

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em 3 agosto, 2008 em Aprendizado, Cotidiano

 

Tags: ,

2 Respostas para “As coisas que não se contam

  1. bete

    3 agosto, 2008 at 12:12 PM

    esse isso inominável e incansável, afoito em nos transbordar e encontrar o outro. verdade tagarelante que ganha breve sentido no real para, no instante seguinte, tornar-se isso inominável, incansável, afoito…

     
  2. Raquel

    3 agosto, 2008 at 8:15 PM

    “…do que não se mede é no que mais se conta.”

    Sei que poemas não devem ser analisados, apesar de o autor os criar usando todas as regras analíticas e sintéticas.

    Mas já que estou aqui…

    Primeiro senti (acho que poesia primeiro se sente, depois, talvez, se reflete). Depois, como me interessou, refleti. A frase que eu citei acima, resume, pra mim, a essência do poema. Me lembra também Fernando Pessoa, encarnado de Álvaro de Campos. (gosto)

    Mas posso estar completamente enganada na minha visão do poema. Essa é a graça de tudo 😉

    Agora, os versos abaixo, eu não entendi. Talvez porque ainda não esteja pronta para entendê-los.

    ” Um todo de tudo do que em nós habita
    também oferece a chance da escolha
    mas que fazer deste todo que agora
    apenas opções oferece escolher?”

    Vou guardá-los e reler outro dia, com outro humor, para talvez conseguir alcançar.

    Abs
    Raquel

    http://devaneioseloucuras-raquel.blogspot.com/

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: